7 dicas infalíveis para fazer compras na Feirinha da Madrugada - Brás

Mari Soek | 12 de dez de 2017 Nenhum comentario
AI MEU DEUS. Quanto tempo eu não passava por aqui, hein? EU CHEGUEIIII



No dia 30 de outubro fui para São Paulo com colegas da faculdade, o objetivo da viagem era ir até o SBT para uma visita técnica  e assistir o programa do Danilo Gentili, mas passamos pelo Brás e eu fiz algumas compras de, em maioria, roupas. Mostro o que comprei lá no canal do YouTube e nesse post vou dar 7 dicas TOPSSÍMAS para comprar lá na Feirinha da Madrugada, no Brás.


1 - NÃO PASSE CARTÃO

Mesmo a maioria dos valores sendo bem acessíveis várias lojas aceitam o cartão de crédito, mas, eu não recomendo que usem. É mais fácil de controlar os valores pagando no dinheiro. Eu tive um pequeno problema. Então, caso esteja indo, se programe, leve uma boa quantia em dinheiro e se possível, leve dinheiro miúdo, notas pequenas.

2 - EVITE PEGAR O CELULAR

Antes de ir todo mundo fazia questão de me dizer o quanto é perigoso e o quanto precisa estar atento e em hipótese alguma pegar o celular. Durante alguns momentos o movimento era gigantesco, impossível de se mexer e muito fácil de ser assaltado sem nem perceber, mas na maioria do tempo era só ficar atento que não era tão perigoso assim. Mas, de qualquer forma evite pegar o celular, levar uma bolsa nas costa e levar notas grandes de dinheiro e pega-las todas na mão.

3 - GOSTOU? LEVE.

Olha só, é tanta loja que você provavelmente não vai passar pela mesma uma segunda vez, então se gostou, leve. Eu gostei de muitas coisas e não peguei, fiquei com receio e voltei muito arrependida.

4 - PECHINCHE

Quem não chora não mama. Então, chore por descontos. Em uma grande compra, provavelmente terá algum desconto.

5 - Esteja confortável

Provavelmente se você for até essa feira vai para passar bastante tempo andando e procurando peças ideais, então vá com uma roupa confortável e principalmente, com um sapato que não doa o pé. Eu usei um tênis confortável mas não o suficiente, no fim do dia meu pé já não aguentava mais encostar no chão.

6 - TENHA ALGUM LUGAR PARA COLOCAR AS COMPRAS

Levar as sacolas na mão pode ser bem ruim, se tiver um daqueles carrinhos de feira, leve. Ou uma sacola grande que possa colocar todas as compras, é uma forma de ser mais fácil de carregar tudo. Eu voltei ao ônibus algumas vezes para deixar as sacolas lá.

7 - QUER ROUPA @? LÁ É O LUGAR

Eu fui com a intenção de dar a louca em roupas e maquiagem, porém, no Brás a maquiagem é quase o mesmo valor que em lojas "normais", não compensa, algumas lojinhas tem valores mais acessíveis em maquiagens, mas ainda sim, lá é o lugar para roupas. É um mundo incrível de roupas.

No vídeo, tem outras dicas que complementam então não deixem de assistir e me contar o que acharam, e se tem mais dicas, me contem.

Por hoje é só, um beijo e até logo.


Produção de uva alavanca fruticultura local

Mari Soek | 30 de mai de 2017 Nenhum comentario
Foto- Toninho Anhaia
A fruticultura é um dos setores produtivos que mais têm se destacado e evoluído no Paraná e região dos Campos Gerais. O Brasil é o 3º maior produtor de frutas do mundo e o Estado é o 8º maior, segundo a pesquisa feita em 2013 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) e Secretaria do Estado da Agricultura e Abastecimento (SEAB). Os dados econômicos são positivos, a renda média bruta anual em 2016 de uma propriedade frutífera fica entre 5 a 6 mil por hectare. Isso se dá pelo fato do Paraná ser uma região com forte transição climática e vários tipos de solo.
De acordo com o coordenador do Laboratório de Biotecnologia Aplicada à fruticultura da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), o Paraná é uma região com forte transição climática e vários tipos de solo. Essa condição faz com que haja grande diversificação na produção. “Por causa disso, os pequenos produtores têm aumentado suas produções com frutas como mirtilo, pêssego, ameixa, uva, morango e outras”.
Ayub explica que a fruticultura é uma atividade que se mantém, apesar da retração econômica que o país tem enfrentado. “A crise restringiu o consumo e isso foi sentido pelos produtores, principalmente por aqueles produtores que armazenam o fruto de um ano para o outro, mas aquele produto que é sazonal o produtor foi menos afetado”.
Em Ponta Grossa uma das principais produções frutíferas é a uva, com aproximadamente 10 a 12 hectares plantados por videira. O agricultor, viticultor e engenheiro agrônomo, Marcello Sozim, um dos principais produtores de uva da cidade, trabalha com as uvas rusticas, variedade americana, Niágara, Rosada e Branca. Com colheita média de 50 a 80 mil toneladas por safra entre dezembro e final de janeiro, e nessa mesma época é onde mais emprega pessoas para ajudar na colheita. “São 10 a 15 pessoas empregadas temporariamente”, afirmou Marcello So zim. Toda produção é comercializada na cidade em supermercados e na própria propriedade, com venda direta ao consumidor e com vinhos e doces como derivados da fruta.
Segundo Sozim, a principal dificuldade é a questão climática, ao ocorrer um clima com excesso de chuva a planta absorve mais agua do solo e não consegue concentrar tanto açúcar na fruta, ficando então com maior teor de água e menor teor de açúcar e isso pode atrasar a colheita.
O Sindicato Rural apoia e auxilia a promoção e divulgação dos eventos de fruticultura, como a Feira da Uva. “Apoiamos a promover a comercialização e procuramos trazer a união do produtor ao consumidor”, declarou o Presidente do Sindicato Rural de Ponta Grossa, Gustavo Ribas Netto.
Cultura de Amora
A amora assim como a uva tem espaço na fruticultura local. A engenheira agrônoma, Anneleen Dewulf, trabalha com a amora silvestre na propriedade Porto Brazos. Na região dos Campos Gerais o solo e o clima são propícios para o desenvolvimento da amora brazos, variedade da amora que tem na propriedade.
São mais de dez produtos derivados da amora fabricados na fazenda. Eles são comercializados na propriedade ou em empórios, adegas, supermercados ou pontos turísticos como o Parque Estadual de Vila Velha, além do site onde os produtos também podem ser adquiridos. Segundo Anneleen todos os produtos são a base da amora e produzidos artesanalmente desde a matéria prima até o produto final. E não contém corante, conservantes e agrotóxicos. “As amoras utilizadas nos produtos da adega são produzidas naturalmente, sem a utilização de agrotóxicos. Também são colhidas manualmente e selecionadas uma a uma para a produção das bebidas, geleias e caldas”, afirma.
Expectativas

 O que segura a expansão da fruticultura é o consumo no mercado interno. O número hoje é de 153 gramas diárias enquanto a média recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 400 gramas por dia. As expectativas do setor para 2017 são positivas. Ponta Grossa está se tornando uma grande cidade, aumentando o número de habitantes e seu poder aquisitivo. Como consequência disso, aumenta-se a demanda e produção.
Galera, essa é a minha matéria do jornal laboratório da faculdade. Decidi liberar pra vocês, espero que gostem, É um assunto bem diferente do que é tratado aqui, mas acho válido postar. 

Look do Dia

Mari Soek | 15 de mar de 2017 Nenhum comentario
Alô alô, eu cheguei. Tudo bom com vocês? 

Gente, já tá todo mundo sabendo que a Meia Arrastão está prometendo voltar ao guarda-roupa e arrasar corações.  Eu sempre amei usar meias com shorts e peguei bem o finalzinho da tendencia da meia arrastão e elas ficaram esquecidas no fundo da gaveta, quando vi que era tendencia logo corri montar um look pra vocês. 

Queria alguma coisa que eu adaptasse para o clima aqui no Paraná e que eu realmente pudesse usar no dia a dia. 






Montei o look com uma t-shirt preta básica com estampa fofinha, shorts cintura alta e um casaquinho que veio de segunda mão e eu sou apaixonada, ele é bem gostosinho pra usar na meia estação, infelizmente não consegui mostrar detalhes da meia mas os furinhos que costumamos ver na meia arrastão são menores e ela tem flores nas laterais é uma meia mais fofinha e o tênis é Moleca.

Antes que eu esqueça, o que vocês acharam do meu novo corte de cabelo?

Fiquei triste de não mostrar muito os detalhes da meia que era o principal no look, porém, acho que deu pra entender o look e ter uma inspiração pra usar a meia arrastão.

                                          Espero que tenham gostado, beijos :*
Gostou? Comente/Compartilhe
 Me siga nas redes sociais instagramtwitter e fanpage do blogyoutube
agora estou no snap: marisoek   

Bombou- Bomber Jackets

Mari Soek | 20 de fev de 2017 Nenhum comentario
Alô alô, eu cheguei. Tudo bom com vocês?


Hoje eu acordei e assim que abri a janela senti um ventinho gelado e me senti inspirada para contar sobre a Bomber Jacket para vocês. O modelo dela vem lá da Primeira Grande Guerra quando os pilotos precisavam de jaquetas quentes e que não deixassem o vento entrar por isso elas eram de couro e tinham os punhos fechados com elástico. 



 Desde 2014 as Bomber Jacket não saem do corpo e do coração das mulheres, uma peça multifuncional e que funciona com tudo. O couro deixou de ser o tecido predominante e deu espaço a seda, cetim e outros tecidos mais grossos ou finos. As cores neutras deram lugar as estampas e cores mais vivas ou tudo junto e misturado.




 Tentei mostrar nas fotos o quanto a peça pode ser misturada e combinada com outras peças chaves e básicas e como você pode usa-la em um evento mais formal ou informal. Elas ficam perfeitas com tênis+t-shirt+jeans ou vestido+sapatilha, são combos perfeitos. E essa pegada High School deixa o look super despojado.
 



 E ai, mais alguém já quer uma bomber jacket pra chamar de sua? E se você já tem em uma, posta uma foto lá no instagram e me marca. (@marisoek)

                                        Espero que tenham gostado, beijos :*
Gostou? Comente/Compartilhe
 Me siga nas redes sociais instagramtwitter e fanpage do blogyoutube
agora estou no snap: marisoek   


A pulseira que reflete o melhor do meu mundo

Mari Soek | 14 de fev de 2017 Nenhum comentario
Alô alô, eu cheguei. Tudo bem com vocês?

 

Hoje eu vim contar pra vocês sobre uma das minhas peças favoritas da vida! Recebi da loja Gamil Joias algumas peças e entre elas estavam essa pulseira e berloques que definem algumas das minhas maiores paixões como o blog e o jornalismo.

Eu fiquei tão mas tão feliz quando vi essas peças que até dei pulinhos e bati palmas (reação típica de quando estou muito feliz) e não podia deixar de mostrar em detalhes pra vocês e além de mencionar as peças maravilhosas e de uma qualidade sensacional dessa loja.
A loja física fica em São Paulo mas entrega para todo o Brasil e você pode comprar em varejo ou atacado, eles trabalham com outros tipos de joias, como anéis, brincos, pulseiras e correntes.






Eu amei tanto essa pulseira porque ela é meu reflexo, dá pra me conhecer e saber do que eu gosto e me faz feliz só pelos berloques, sem falar que é um ótimo presente. 

Quando eu preencher mais a minha pulseira mostro ela em vídeo pra vocês. Ah, a loja tem algumas redes sociais, vou deixar linkado: Facebook e Instagram

                                          Espero que tenham gostado, beijos :*
Gostou? Comente/Compartilhe
 Me siga nas redes sociais instagramtwitter e fanpage do blogyoutube
agora estou no snap: marisoek   

 
Desenvolvido por Michelly Melo.