E ai, vamos juntas?

Mari Soek | 14 de out de 2015
Olá, queridas. Tudo bom?   
"Na próxima vez que estiver em uma situação de risco, observe: do seu lado pode estar outra mulher passando pela mesma insegurança. Que tal irem juntas?"
Foi com essa ideia que nasceu um movimento lindo chamado "Vamos Juntas?" onde milhares de mulheres dão as mãos para enfrentar o medo de andar na rua sozinhas durante a noite. 
Babi, uma jornalista de 24 anos estava saindo do trabalho a noite, com o medo que infelizmente estamos todas acostumadas a sentir, quando se deu conta de que se uma mulher ajudasse a outra, o caminho para casa se tornaria menos medonho. (Ela conta um pouquinho de como nasceu o movimento nesse vídeo aqui X)
O Movimento conta com uma pagina no facebook que tem 227.232 curtidas, e que a cada dia tem um novo relato de uma mulher que geralmente conheceu o movimento e começou a prestar mais atenção se outra mulher precisa de ajuda, eu choro com a maioria dos relatos porque sei que infelizmente isso é uma coisa muito presente nos nossos dias, mas choro, principalmente porque fico feliz em saber que tem tantas mulheres praticando a sororidade e se amando, isso dá um quentinho no meu coração. 


Esses dois, são apenas dois dos vários relatos que se encontram na Pagina. O mais engraçado é quando você para pra pensar e percebe que todo mundo já passou por isso em um dos lados, mesmo que não tenham conversado ou enganchado uma na outra, mas toda mulher já andou ao lado da outra em silencio e se sentiu totalmente grata, toda mulher olha para trás na esperança de ver outra mulher porque a gente sabe que ela vai estar passando pelo mesmo que você.
Um dia eu estava voltando do curso de inglês e já estava escuro e eu precisava passar por uma rua totalmente sem iluminação para chegar na casa dos meus avós, a minha cidade é muito pequena, não tem ônibus e dia de semana não existe ninguém na rua, ainda mais por aquela rua, quando eu estava chegando perto de uma praça vi dois homens parados me esperando, eu já não sabia mais o que rezar, pensei em fingir que estava falando no telefone, pensei em pegar uma caneta na bolsa, mas a única coisa que eu conseguia fazer era andar devagar pra demorar mais pra chegar na praça e rezar, quando um carro parou ao meu lado e disse que percebeu os caras me olhando e me esperando, a mulher disse que pensou na filha dela, que por acaso era minha colega de apenas um dia do curso (aquele bendito dia), e eu sou totalmente grata a essa mulher, e dai em diante eu percebi como é importante a gente ajudar umas as outras, a gente enfrentar a vergonha de convidar a outra para ir ao nosso lado, a gente enfrentar o "não gosto dela" para pessoas que já conhecemos, precisamos nos unir, juntas somos mais fortes. 
Eu decidi escrever sobre isso porque eu quero que mais e mais mulheres percebam o quanto é importante ter sororidade, porque talvez assim a gente consiga se sentir mais segura, isso nunca vai acabar enquanto não unirmos força e gritarmos  NÃO juntas, então eu convido todas vocês a curtir a pagina e a ficar mais atenta se a mulher ao teu lado não está precisando da sua ajuda.
A pagina é bem novinha mas cresceu imensamente rápido e ainda não parou, tem um proposito lindo e ajudou a milhares de mulheres a observar quando a outra está em perigo e ajudar, não deixe de acompanhar esses relatos prometo que seu coração vai se encher de amor. 
                                       Espero que tenham gostado, beijos :*

Gostou? Comente/Compartilhe
 Me siga nas minhas redes sociais instagramtwitter e fanpage do blogyoutube
agora estou no snap: marisoek

Nenhum comentario

Postar um comentário

 
Desenvolvido por Michelly Melo.